Infância Urgente

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

JOVENS Policiais militares matam três jovens a tiros Comando do batalhão informou que PMs responderam "a uma agressão injusta que sofreram"

Bargas Filho - Campinas

Arquivo/TodoDia Imagem

Jovens feridos foram levados ao Hospital Municipal Dr. Mário Gatti Três rapazes, um deles de 15 anos, foram mortos a tiros por policiais da Força Tática, anteontem, no Jardim das Andorinhas, em Campinas. Segundo a versão oficial do comando do 35º Batalhão de Polícia Militar, os policiais responderam "a uma agressão injusta que sofreram". Conforme a PM, "cinco homens que estavam em uma Kombi, entre eles os três baleados, atiraram contra os policiais". Duas pistolas semi-automáticas de calibre 9 milímetros e um revólver de calibre 38 foram apresentados pela polícia como as armas usadas no "tiroteio". Os familiares dos rapazes negam que eles tinham armas e alegam que "voltavam de um jogo de futebol".

As mortes ocorreram numa estrada de acesso aos bairros das Andorinhas e Chácaras Aveiro, entre a Rodovia Dom Pedro I e o Anel Viário Magalhães Teixeira. A Kombi branca, 2007, onde estavam os jovens teve os vidros traseiros destruídos por disparos. Morream Rafael Coelho de Oliveira Barbosa, 24, Diego Alexandre da Silva, 21, e o primo dele, Rafael José da Silva, 15, todos moradores no Jardim São Fernando. Barbosa é o único que tinha antecedentes criminais por roubo.

Segundo a PM, foi recebida uma informação por telefone de que ocupantes de uma Kombi estavam envolvidos no roubo a uma residência de onde foi levado um veículo Eco Sport. "Por volta das 21h40, uma viatura da Força Tática teria se deparado com uma ‘perua' Kombi que teria praticado um roubo à residência e de um veículo com cinco indivíduos. Os policiais tentaram abordar essa Kombi e houve disparos por parte das pessoas que estavam no interior, que saíram correndo. Por isso houve a resposta dos policiais, haja a agressão injusta que eles estavam sofrendo. E com isso eles foram feridos e socorridos ao prontossocorro do Hospital Mário Gatti", disse o major Nelson Coelho, do 35º Batalhão.

Os policiais informaram que dentro da Kombi foram achados documentos de uma vítima de roubo, as chaves de um carro roubado e outros objetos. "As armas também foram achadas com essas pessoas", disse o major.

Barbosa esteve preso por roubo no CDP (Centro de Detenção Provisória), segundo a PM. De acordo com os familiares, os três foram atingidos por tiros no peito e Barbosa tinha um ferimento, também a tiro, na cabeça.

Segundo major Coelho, foi aberto IPM (Inquérito Policial Militar) e os quatro policiais militares serão submetidos a exames psicológicos, que irão definir se podem continuar trabalhando. A Polícia Civil abriu inquérito no 10º DP, no Jardim Proença.

Os familiares se revoltaram. "Acho que eles foram executados sem chance de defesa. Por isso, precisamos que tudo seja apurado com muito rigor. Queremos Justiça, que nenhuma família mais passe por essa situação de receber seus filhos mortos, sendo acusados de bandidos", disse José Luís Pereira da Silva, 38, tio do adolescente. "Meu marido já havia pagado na Justiça o que devia. Ele teve um processo de roubo. Agora estava sossegado. Ele levou tiro à queima-roupa", disse Yasmin Lúcia Araújo Pontes, 19, mulher de Barbosa. Os familiares disseram que pretendem fazer protestos.

Um comentário:

lyuly disse...

o sistema brasileiro e um fracasso todos os anos e a mesma ladainha adolescentes sao mortos pela policia bem passaram se 2 semanas a midia simplesmente esqueçe por que o que a midia quer realmente e audiencia e nao se portar os fatos , como sempre. neste pais tudo acaba em nada, e se em 2010 temos politicos ,que poem dinheiro publico em meia, e nao tirarmos esses politicos que DAO NOJO A ESSA SOCIEDADE , TUDO ACABARA EM NADA TODO SOFRIMENTO DE UMA FAMILIA LEVADOS A NADASIMPLESMENTE NADA